Igreja Doméstica

Crisma, a Confirmação da Fé

A Crisma ou Confirmação, é um Sacramento que dá ao Católico o Espírito Santo, e resplandece em sua alma o caráter de soldados de Cristo, e faz com que sejamos cristãos perfeitos.

sacramento crisma confirmação

De que maneira a Confirmação (Crisma) faz com que os cristãos sejam perfeitos?

A Confirmação faz com que os cristãos sejam perfeitos ao confirmá-los na Fé Católica, a única e verdadeira Igreja de Cristo, e assim aperfeiçoa em nós cristãos as outras virtudes e dons recebidos no santo Batismo; e é por isso que se chama de Confirmação.

Porque Crisma?

A Igreja dá esse nome porque no momento em que o Bispo unge o crismando com a confirmação da fé, e pronuncia a fórmula solene, o batizado torna-se mais firme na fé pela virtude da nova graça, a renovação da fé, e começa a ser um perfeito soldado de Cristo. Mas para isso, o católico não pode colocar obstáculos à validação do sacramento da confirmação.

Quais são os dons do Espírito Santo que se recebem na Confirmação?

São sete os dons do Espírito Santo que recebem na Confirmação:

espírito santo crisma confirmação

1.º Sabedoria;

2.º Entendimento;

3.º Conselho;

4.º Fortaleza;

5.º Ciência;

6.º Piedade;

7.º Temor de Deus.

E tem como matéria deste Sacramento, além da imposição das mãos do Bispo, a unção feita na testa do batizado com o santo Crisma; por essa razão o sacramento da Confirmação, também chamada de Crisma, que significa Unção.

chrisma é uma palavra de origem latina, e significa “unção”. Em grego, khrísma significa “unguento, unção”.

A Confirmação é um verdadeiro sacramento

A Igreja Católica sempre reconheceu que o sacramento da Confirmação possui o caráter próprio de verdadeiro Sacramento. Muitos Papas atestaram isso, dentre eles o Papa Melquíades, e muitos outros dos mais antigos tempos.

São Clemente afirmou de maneira enérgica e positiva a verdade desse sacramento: 

“Todos devem empenhar-se por renascer em Deus, sem mais demora, para serem afinal assinalados pelo Bispo, isto é, para receberem os sete dons do Espírito Santo; em hipótese alguma, poderia ser perfeito cristão quem deixasse de receber este Sacramento, não por motivos imperiosos, mas por voluntária negligência. Esta é a tradição que recebemos de São Pedro, e assim ensinaram os outros Apóstolos, por ordem de Nosso Senhor”.

Apesar do Papa Melquíades ter dito que o Batismo se une a Confirmação, ambos não constituem um só Sacramento, já que existe grande diferença entre os dois. 

Papa melquíades sacramentos

Pela graça do Batismo, os homens são gerados para uma nova vida. Já pelo sacramento da Confirmação, aqueles que foram gerados tornam-se Varões, depois de perderem aquilo de que tinham de crianças.

“Pelo Batismo, o homem alista-se na milícia; pela Confirmação, equipa-se para a luta. Na fonte batismal, o Espírito Santo confere a plenitude da inocência; na Confirmação, dá a consumação da graça. No Batismo, renascemos para a vida; depois do Batismo, somos confirmados para a luta. No Batismo, somos purificados; depois do Batismo, somos munidos de força. A regeneração garante de per si a salvação aos que se batizam em tempo de paz; a Confirmação arma e adestra para os embates da guerra”.

Papa Melquíades.

A doutrina católica também afirma isso, sendo apoiado por vários Concílios, principalmente pelo Sagrado Concílio de Trento, de modo que a ninguém é permitido formular outra opinião, muito menos, pode um católico pôr em dúvida a distinção dos dois sacramentos, Batismo e Confirmação não são o mesmo sacramento. Cada um possui graças diferentes que complementam a si mesmos.

Matéria da Crisma

A Confirmação ou crisma é uma palavra de origem da língua grega, que é utilizada por escritores mundanos para designar qualquer tipo de óleo. 

Na Igreja Católica, por tradição os sacerdotes escritores adaptaram a palavra crisma ao sentido de apenas significar o unguento, ou seja, a mistura do composto de azeite doce e bálsamo, consagrado no rito solene pelo Bispo. A partir disso, a palavra crisma adquire condição santa, vinculada à fé de Nosso Senhor Jesus Cristo, e a sua verdadeira e única Igreja.

O que é Santo Crisma

O santo Crisma nada mais é do que o óleo de oliveira misturado com bálsamo, que é consagrado pelo Bispo na Quinta-Feira Santa.

O óleo, que se derrama e fortalece, significa a abundância da graça que se difunde na alma do cristão para o confirmar na Fé; e o bálsamo, que é aromático e preserva da corrupção, significa que o cristão fortificado por esta graça é capaz de difundir o bom aroma das virtudes cristãs, e de preservar-se da corrupção dos vícios.

Esta combinação de elementos simboliza as muitas graças que o Espírito Santo outorga aos crismados.

A Santa Igreja e os Concílios sempre ensinaram que essa combinação do óleo de oliveria com o bálsamo é a matéria do Sacramento. São Dionísio, e muitos outros Padres de máxima autoridade confirmaram isso, dentre eles o Papa Fabiano, que afirma que os Apóstolos receberam do Senhor a maneira de fazer o Crisma, e eles a transmitiram às próximas gerações.

Forma da Crisma

A matéria da crisma é essencial para receber o sacramento, mas há outra parte também essencial, a Forma usada na sagrada unção, que é de responsabilidade do Bispo, e se resume às palavras ditas por ele.

Ainda, os crismandos devem fazer interiormente atos de amor, confiança e devoção, sobretudo quando ouvirem pronunciar as palavras sacramentais, para que de sua parte, não haja um impedimento para que a graça celestial recaia sobre eles.

Sugestão de Leitura

Caso queira um livro impresso, adquira o Manual da Igreja Doméstica, que apresenta as formas de celebrar os Sacramentos em casa, além de bênçãos, orações e roteiros dos Encontros com Jesus no canal da Capela da Sagrada Face noYoutube. O manual foi preparado seguindo a Tradição, Magistério da Santa Igreja.

E qual é a forma da Crisma?

A forma completa da Crisma resume-se nas palavras ditas pelo Bispo: 

Eu te assinalo com o sinal da Cruz, e te confirmo com o Crisma da salvação, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amén.

O Bispo é o ministro ordinário do Sacramento da Confirmação. E a unção é feita na fronte, porque é onde aparecem os sinais do temor e da vergonha, a fim de que o crismado entenda que não deve envergonhar-se do nome e da profissão de cristão, nem ter medo dos inimigos da Fé.

A rigor, não há elementos suficientes, que prove que essa é a forma autêntica e perfeita do Sacramento; mas a autoridade da Igreja Católica não permite que duvidemos dessas palavras, já que é o ensinamento do magistério oficial da Igreja. Assim, nenhum Papa ou Concílio pode mudar o que séculos de magistério ensinaram.

Para que a bofetada?

Dá-se uma leve bofetada na face do crismado para que saiba que deve estar pronto a sofrer todas as afrontas e todas as penas pela Fé e amor de Jesus Cristo.

Para receber dignamente o Sacramento da Confirmação, é necessário estar em estado de graça, conhecer os mistérios principais da nossa santa Fé, e dessa maneira, aproximar-se deste Sacramento com reverência e devoção.

É pecado receber a Confirmação uma segunda vez?

Sim é pecado, o fiel cometeria sacrilégio, porque a Confirmação é um daqueles Sacramentos que imprimem caráter na alma e que portanto só se podem receber uma vez.

Como conservar a graça da Crisma?

O cristão deve orar frequentemente, fazer boas obras, e viver segundo a lei de Jesus Cristo, sem respeito humano, para conservar a graça da confirmação.

Padrinhos e Madrinha

O dever do Padrinho e da Madrinha é dar exemplos, que orientem o crismado no caminho da salvação e o auxiliem nos combates espirituais.  

O Padrinho deve ser de idade conveniente, católico, crismado, instruído nas coisas mais necessárias da religião e de bons costumes; e deve ser do mesmo sexo que o crismado; e ele terá parentesco espiritual com o crismado, semelhante ao que contrai o padrinho de Batismo.

Ministro da Crisma

De acordo com a sagrada escritura, nos Atos dos Apóstolos vemos que, somente o Bispo tem o poder ordinário de administrar este Sacramento. 

5

E Filipe descendo a uma cidade de Samaria, lhes pregava a Cristo.

14

Os Apóstolos porém que se achavam em Jerusalém, ouvido que a Samaria recebera a palavra de Deus, mandaram-lhes lá a Pedro, e a João.

15

Os quais quando chegaram, fizeram oração por eles, a fim de receberem o Espírito Santo.

16

Porque ele ainda não tinha descido sobre nenhum, mas somente tinham sido batizados em nome do Senhor Jesus.

17 

Então punham as mãos sobre eles, e recebiam o Espírito Santo.

Atos dos Apóstolos 8,5: 14 ss.

Dessa passagem, os Santos Padres, entendem que o ministro do Batismo, no caso da passagem, Filipe, não tinha nenhuma autoridade para crismar um fiel, já que era apenas diácono; desse modo, a função de crismar era reservada somente aos ministros superiores, aos próprios Apóstolos. Chega-se à mesma conclusão, ao consultar passagens sobre o Sacramento da Crisma na Bíblia.

Como prova disso temos, além das decisões dos Santos Padres e dos Papas Urbano, Eusébio, Dâmaso, Inocêncio, Leão, conforme se percebe em seus decretos. Ainda temos o posicionamento de Santo Agostinho, que criticou duramente o péssimo costume que havia no Egito e em Alexandria,  da administração da Crisma por sacerdotes indevidos.

Porque somente o Bispo pode administrar a Crisma

Por exemplo, na construção de casas, os operários desempenham o papel de ajudantes inferiores, ao preparar, e assentar a pedra, a argamassa, a madeira, e os outros materiais, e assim erguer a construção. Porém, é de responsabilidade final do Mestre de Obras, que ocupa cargo superior, a conclusão da construção.

Desse modo,  mesmo acontece com a Crisma, que nesse exemplo, simboliza a conclusão de um Edifício Espiritual para a morada do Senhor, o corpo do crismando. Logo, o correto é que apenas o Bispo, como sacerdote superior, administre o sacramento da confirmação.